Chegando na Sicilia pelo estreito de Messina

 Depois de quatro dias na Costiera Amalfitana rumamos em direção ao sul, nosso destino : Sicília.     

O máximo ao sul da Itália em que eu estive foi Roma  e tirando isso, o sul era uma zona totalmente desconhecida para mim. Eu já estava bem ciente das grandes diferenças entre norte e sul em vários aspectos : da organização e seguranca até a mentalidade de ambas regiões.     

Em alguma estradinha no centro da ilha

 Ficamos 5 dias na ilha em duas bases: em Cefalu no litoral norte e Enna bem no centro. A grande vantagem em viajar pela Sicília é que ela não é tão grande e vale a pena ter bases bem localizadas para fazer os clássicos bate-e-volta sem ficar mudando toda hora de hotel, o que pode ser bem desgastante numa viagem. 

A Sícilia tem de tudo um pouco, desde templos gregos muito bem conservados, afinal a ilha pertencia a Magna Grécia, até igrejas bizantinas com influências arabes além de uma região montanhosa muito fotogênica, sem mencionar o majestoso Etna que mesmo no centro da ilha é possível vê-lo imponente e poderoso. 

    

Mesmo sem vidros ele ainda anda

Muito se fala da Máfia e da criminalidade nas cidades grandes. Por isso resolvemos nem passar perto de Palermo ou Catânia. Nosso objetivo desde o começo era natureza, cultura e cidades pitorescas e tudo isso nao é dificil achar na Sicilia!   

Bem mas voltando ao assunto “Máfia”, hoje em dia todo lugar tem “Máfia”, a calabresa, napolitana, chinesa, russa etc. De acordo com meu guia, pequenos comerciantes em areas turisticas bem situadas tem que pagar “propina” para ter a devida segurança. Além de vários hotéis serem de propriedade de mafiosos, turismo é na verdade uma ótima maneira de lavar dinheiro. Por estas e outras, nós turistas somos muito bem vindos e não temos do que temer uma vez estando por lá, afinal tudo faz parte do sistema.    

Interior da Sicília

Infelizmente uma outra coisa que me chamou atenção é a maneira como eles se desfazem do lixo. Em Nápoles é gritante assim quando se sai das ruas principais e até em Amalfi na própria estrada mesmo, sempre se encontra sacos de lixo, uma pena. Já na Sicilia eles tem um outro método no interior pelo menos : queimar! Logo de manhã percebemos pelas estradinhas por onde andamos que era fumaça para todo lado e um cheiro que não preciso nem descrever.  Além da falta de consciencia ambiental, a coleta de lixo não é suficiente e ele nao é recolhido regularmente, ai já viu.       

Vulcao Etna ao fundo

 Mas apesar disso, a Sicília é um “must” da cultura italiana/mediterrânea/grega…. enfim uma mistura de estilos e com um visual espetacular, um lugar que é pra voltar com certeza! Sem tirar a culinária que dispensa maiores comentários. Uma dica para quem gosta de amendoas, experimentem o latte de mardolla, em qualquer supermercado tem, em caixinha, muito refrescante.    

Cerâmica- um dos souvenirs preferidos do sul da Itália

Assim como na regiao de Amalfi, cerâmica pintada a mão é um souvinier muito popular.     

Aguardem mais posts!!