A caminho de Cefalu

 

Em Reggio Calabria fica o porto de onde saem as balsas rumo a Messina. A viagem durou meia hora e custou 25 euros. O interessante foi saber que este pequeno estreito já foi muito temido já na época dos gregos ( foi até mencionado na Odisséia de Homero ). Devido ao encontro de placas tectonicas justamente num certo ponto do estreito, o mar pode ser bem traicoeiro. E é justamente a frissao destas placas tectonicas que causam vários terremotos em Messina que já foi diversas vezes destruída.

De Messina pegamos a auto-estrada em direcao a Cefálu. A estrada é nova e houve pedágio só em um trecho, aliás eu acho que foi a única vez que pagamos pedágio na Sicilia.

Cefálu é uma cidade de pescadores que agora já se adaptou ao turismo, tem um centrinho bem charmoso e foi uma boa base para nossos passeios.

Um dos cartoes postais mais famosos de Cefalu: a catedral normanda

Ficamos no hotel Mediterrâneo com estacionamento próprio e no centro- diária 70 euros por casal ( baixa temporada ).

Cefálu é também famosa pela sua catedral normanda e pela “Rocca” um grande rochedo que marca a silueta da cidade.Ela também se provou uma ótima base, perto de vários pontos interessantes e com uma vida noturna.

Chegamos em Cefalú já de tarde e no dia seguinte rumamos direcao oeste onde visitamos Segesta, Erice e Monreale nesta ordem.

Segesta

 

Logo de manha rumamos a costa oeste mas nao sem antes visitar Segesta. O templo foi construído para impressionar os gregos e nem foi terminado.

Junto com Agrigento, estes dois templos sao os que estao em melhor estado em todo o território que um dia foi ocupado pelos gregos.

Creio que a “atracao” do templo é a sua localizacao e nao o templo em si. Já o tinha visto em fotos tiradas de longe, ao pé da montanha, como parte do cenário. Mas quando se chegar do estacionamento depois de 5 minutos de caminhada já se dá de cara com o sitio o que diminui um pouco o impacto.

A entrada custa 6 euros.

Achar o templo pode ser meio difícil sem um GPS pois fica no meio do nada. Aliás vale MUITO a pena alugar um carro com GPS mas sem esquecer do bom e velho mapa atualizado só por via das dúvidas.

De Segesta rumamos a direcao noroeste, mais precisamente a cidade de Erice, que foi sem dúvida um dos highlights desta viagem! Aguardem!