Uma das grandes vantagens de se morar no sul da Alemanha é que em poucas horas já se esta no cenário fantástico dos Alpes. É impossível errar, qualquer cantinho dos Alpes é um colírio pros olhos. Aproveitamos o feriado prolongado no final de maio e rumamos em direcao ao Alto Adige/Südtirol desta vez. Está regiao é também mundialmente conhecida pelas Dolomitas que sao parte das montanhas desta regiao.  

Vista do Vale Gardena

Esta província localiza-se tecnicamente falando já em território italiano, bem mas na prática há uma mistura de culturas nesta regiao onde se fala alemao, italiano e ladino. Todas as placas estao em italiano/alemao e a maioria fala ou entende ambos idiomas, por isso vou mencionar em alguns casos as atracoes em ambos idiomas.

Igreja do vilarejo de Bulla

Ficamos 4 noites na pousada Cesa Vedla – 50 euros por casal ( baixa temporada ), 60 na alta com esquema self-catering: fogao, lava-loucas e até maquina de lavar roupa! Há vários hotéis e pensoes em Alto Adige e a regiao que ficamos, por ser muito turística, tem acomodacoes de todos os tipos: de hotéis estilo spa até as pensoes familiares ( que foi pelo que optamos).

A pensao se localiza num cenário bem bucólico a mais de 1400 metros de altitude. O vilarejo de Pufels / Bulla é minusculo e tem uma vista deslumbrante para a cidadezinha de St. Ulrich/Ortisei .

A pousada Cesa Vleda

O Vale de Gardena onde ficamos ( perto da cidade de Bozen/Bolzano ) é lotado de vários tipos de hotéis/pensoes sobrando pouco espaco para a cidade em si. Tudo é voltado para o turismo de ski no inverno ou de escaladas no verao além das inúmeras lojas que vendem esculturas de madeira.

Vista do vilarejo

Sem dúvida a maior atracao desta regiao é o cenário deslumbrante das montanhas.

Nossa pensao se localiza a uma hora e meia de caminhada do maior plateau da Europa (57 km quadrados ) o Seiser Alm / Alpe de Siusi.

 

 Realmente é diferente estar de repente num lugar plano com pano de fundo montanhas por todos os lados. Este lugar é frequentado por um milhao de turistas por ano, pois além de ser um lugar bem popular entre os amantes de esqui, é também acessível por bondinho ou há até estradinhas que trazem os milhares de turistas que nao tem mais pique pra subir montanha.

Uma vez no plateau a visao é espetacular e nao precisa ser nenhum alpinista para simplesmente andar pelas diversas estradinhas, é como se fosse um parque “suspenso” a mais de  1680 metros de altura.

Fica difícil decidir o que fazer quando se está num cenário tao espetacular e as atracoes sao muitas, no segundo dia fizemos um passeio pelo Paso di Costalunga /Karerpass e tivemos muita sorte com o tempo, o que é fundamental para este tipo de passeio.

Esta estrada que leva a este Paso é uma das mais populares de todas as Dolomitas tendo como pano de fundo o grupo de montanhas Rosengarten/Catinaccio.

“Crocos” embelezam ainda mais o panorama a mais de 1700 metros de altitude

Panorama fantástico do Paso di Costalunga

 

Visuais de tirar o fôlego – a caminho dos  Tre Cime

No dia seguinte fomos a uma das regioes mais famosas das Dolomitas em direcao sudoeste ver de perto os Tre Cime di Lavaredo/Drei Zinnen . Todo calendário tem com certeza uma foto de lá. Só para ilustracao (foto da net) :

Em duas horas já tinhamos chegado ao nosso destino final passando por paisagens deslumbrantes e com várias paradas para fotos.

A cidade mais famosa das Dolomitas : Cortina d´Ampezzo

Muita neve ainda perto dos Tre Cime o que impediu de continuarmos a caminhada até a base de mais de 2000 metros de altura. Esta regiao era a antiga fronteira entre Itália e Austria.

Mas só a viagem em si já valeu muito a pena, as fotos estao ai para comprovar…

Para quem gosta de escalar a melhor época é a partir da metade de junho até metade de setembro.

Praca central de Bolzano

Nao ficamos só nas montanhas e também demos uma volta pela capital de Alto Adige : Bolzano /Bozen que é pequena mas aconchegante. Me fez lembrar Innsbruck na Austria, nao parece que estamos numa cidade italiana, pois a influência austríaca é muito forte em vários detalhes. O telhado da igreja com suas telhas coloridas com mosaico lembra a catedral de Viena, por exemplo.

 

 

Parte da trilha até os Tre Cime : muita neve pode ser arriscado e escorregadio

 No último dia resolvemos explorar a regiao em volta da cidade de Merano/Meran que já tem uma atmosfera mais italiana do que Bolzano. Passamos por vales cheios de macieiras ( esta regiao é uma das maiores exportadoras de macas na Europa ).

No topo de uma das montanhas no Vale do Martello

Parte do Vale do Martello

Com certeza esta nao será a última vez que estarei nesta regiao fantástica, uma visita é só pra deixar com gostinho de quero mais.