Interrompo a série escandinava para escrever um post que já algum tempo estava em “stand-by“.

Visitar um campo de concentracao não é um “passeio no parque” ainda mais para pessoas mais sensíveis. A atmosfera pesada, os objetos, fotos, filmes enfim tudo  mostra que toda aquela barbaridade aconteceu há pouquíssimo tempo, choca e acaba estragando o dia de ferias de alguns ( foi este o meu caso, nao preciso dizer que as reacoes sao totalmente subjetivas ).

Eu já tinha visitado o campo de Dachau e tinha me prometido, nunca mais pisar em um. Quando estive em Cracóvia, conscientemente abri mao de conhecer o mais temido campo de Auschwitz.

Até que minha última visita brazuca fez questao de conhecer um. Por questoes logísticas o de Flossenbürg é o mais perto de onde estou.

Ele nao é tao notório como o de Dachau e Buchenwald, por ser bem menor, mas a reacao de dar arrepios está sempre presente.

Flossenbürg fica perto da fronteira com a República Checa e nao fica longe da Autobahn A6 que liga Praga a Nürnberg. O ideal é para quem está de carro fazendo o roteiro Praga-Munique por exemplo.

A entrada é gratuita, para quem faz questao em ter um guia, há em ingles, mas tem que agendar antes.

http://www.gedenkstaette-flossenbuerg.de/en/home/

É aconselhável visitar a exposicao do campo logo na entrada, lá há mais informacoes ( também em ingles ) sobre os campos em geral nao só o de Flossenbürg.

Flossenbürg é uma pequena cidade na Baviera que fica a mais de 700 metros de altitude, e o campo fica bem no meio do lugar, é bizarro ver as casas do outro lado do muro.