Quanto mais se viaja, mais se apura o estilo do viajante em questao e cada turista tem lá as suas manias.

Uma das minhas é a implicancia com as capitais. Eu já afirmei em outros posts que Paris nao é Franca, e nem Budapeste é Hungria. Por isso sempre que posso tento ver o interior do país que estou visitando, e em alguns casos até abro mao das capitais ( vide Croácia, Noruega, Polonia e Eslovênia para citar alguns exemplos ). A comparacao que sempre faco é como quando um estrangeiro vai para o Brasil e vai só para Brasília… um desperdicio, nao é verdade?

Pois bem, mas em alguns lugares a capital é um must, como por exemplo na Suécia. Estocolmo é sem dúvida um lugar imperdível. O que eu nao contava com esta viagem, é que este país me impressionasse tanto pelo seu povo de bem com a vida ( quase todo mundo te sorri e cumprimenta na rua ), suas pequenas cidades bucólicas e sua natureza.

Com um vizinho tao pop em se tratando de belezas naturais como a Noruega, é natural que a maioria dos viajantes concentrem seus dias de férias para aquele país.

Nós unimos o “útil ao agradável” e no caminho de ida e volta para a Noruega fizemos os devidos “pit-stops” pelo interior sueco.

Perto da divisa com a Noruega, ao longo da sua costa oeste há várias vilas de pescadores bucólicas e encantadoras que oferecem culinária típica com muitos frutos do mar, claro.

Uma das minhas cidadezinhas favoritas foi a vila de pescador Fjällbacka por exemplo. Para quem conhece os livros de Camilla Lackberg, esta pequena cidade nao é desconhecida.

Ela fica a 130 km de Göteborg e apenas 25 km da fronteira com a Noruega.

A marca registrada de Fjällbacka é o seu rochedo bem no meio da cidade. A atriz Ingrid Bergman sempre passava suas férias por lá e a praca principal tem o seu nome.

Fjällbacka é um delicioso pitstop, vale a pena dar um passeio pelo seu pier e tomar uma cidra em algum bistro.

Uma cidra gelada nao pode faltar

Outra vila de pescadores que vistamos foi Fiskebasil com suas típicas casinhas de madeira. No verao a populacao de lá tríplica.

Outra cidadezinha encantadora è Vadstena. Esta pequena cidade tem duas atracoes principais o Castelo de Vadstena do século 16, um dos mais bem preservados da era de Gustav Vasa e o mosteiro da Santa Brigite.  Esta freira que virou santa atrai muitos fiéis para o lugar onde ela construiu o mosteiro.

O Castelo de  Vadstena foi construído em 1545 para proteger Estocolmo de invasores.

Os suécos gostam muito da vida bucólica e se possível sempre com o elemento água por perto, seja um lago, mar ou rio.