Depois de Derry no primeiro dia do passeio,  pé na estrada em direcao a Giant´s Causeway ou como preferir ” A Calcada dos Gigantes”. Na verdade este milagre da natureza dá nome também a rota de 180 kms que comeca em Belfast até Derry.

Esta rota foi eleita a quinta rota mais pitoresca do mundo e com razao, quase todo o caminho é cheio de abismos e uma costa recortada espetacular.

Antes de chegarmos a “Giant´s Causeway” demos uma parada nas ruínas do castelo de Dunluce. Este monumento medieval foi o quartel general dos poderosos MacDonnells  e sucumbiu as forcas da natureza em 1639 quando uma tormenta fez com que a cozinha do castelo caísse no mar.

 Mesmo com tempo ruim há uma atmosfera de mistério neste lugar….

Emfim nao demorou muito e chegamos finalmente a atracao mais famosa da Irlanda do Norte e também Patrimônio da Humanidade pela Unesco…. A “Calcada dos Gigantes”.

Como tudo na Irlanda há a versao cientifica e a lenda…. Diz a lenda que o gigante Finn McCool construiu estas escadas para poder chegar até a Escócia e derrotar sua arqui-rival. Já a versao científica diz que tais formacoes nada mais sao do que lava que se cristalizou há 60 milhoes de anos.

Sao mais de 37000 formacoes em formato de pentágonos ou hexágonos. Nao preciso dizer que sapatos anti-derrapantes sao um must para este passeio junto com a capa de chuva claro …. Sao 20 minutos a pé da entrada até a costa.

 As formacoes nao sao só na costa mais também encravadas nas montanhas.

No momento eles estao construindo o Visitor Centre, entao estava tudo em obras. É melhor estacionar no Park and Ride de Bushmills. Para quem gosta de whiskey é só dar uma esticadinha ali mesmo na destilaria de Bushmills. De lá é só pegar o shuttle bus até a Giant´s Causeway.

Ficamos cerca de 2 horas e meia por ali e depois rumamos para a Carrick-a-Rede Bridge que foi a minha parte favorita do dia. O lugar em si é deslumbrante, quando o tempo está bom é possível ver a Escócia. ( o problema é pegar tempo bom nesta regiao onde chove 300 dias por ano …. )

30 metros de profundidade e 20 de largura separam o continente da pequena ilha de Carrick-a-Rede.

Adrenalina pura ao atravessar a ponte, no máximo 5 pessoas de cada vez e muitas vezes eles fecham por causa do vento.

 Quando se atravessa a ponte se passa em cima da cratera de um vulcao submerso.

Os pescadores de salmao usavam esta ponte para transportar os peixes que eram fisgados na ilha. Até 1890 só tinha corda de um lado da ponte… imaginem os pescadores transportando peixe se equilibrando numa corda só….

Muito vento neste dia principalmente na pequena ilha o que aumentou ainda mais a “emocao” de atravessar a ponte de corda….

Terminamos o nosso passeio deste dia em Belfast que será o tema do meu próximo post. Aguardem!