Imagem

Hanoi e Baía de Halong – 10 melhores momentos

Tags

,

Hanoi assim como Saigon é o grande portão de entrada para quem está chegando ao Vietnã de avião. A cidade atrai mais pela sua proximidade da Baía de Halong que fica à 3 horas da capital.

Com certeza Hanoi é uma cidade que polariza ou você ama ou odeia… É inegável o caos das milhões de motos, ambulantes vendendo comida a cada esquina, trem passando no meio da cidade. Mas enfim, visitá-la faz parte de qualquer viagem ao Vietnã, entretanto um dia inteiro foi mais que suficiente para mim.

Apesar de bem caótica, Hanói também teve seus bons momentos… vou listá-los aqui assim como os highlights da deslumbrante Baía de Halong.

P1000477

1) Se perder pelas ruas do Old Quarter

Rua do nosso hotel em Hanoi

Nós ficamos numa localização privilegiada no Charming Hotel bem no meio do Old Quarter, café da manhã meio fraquinho, mas em compensação super prestativos e quarto confortável pelo preço ( certifique-se se seu quarto tem janela!). Depois de muitos avisos no trip advisor de que há muitos malandros espreitando os turistas no aeroporto, resolvemos usar o pick-up service do hotel e não nos arrependemos!

A melhor forma de explorar o Old Quarter é a pé! Não esqueça seu mapa para explorar este centrinho que é lotado de tudo que um turista precisa: feirinhas, restaurantes e lojas.

As maiores atrações não estão longe do centrinho como por exemplo o Templo da Literatura.

P1000486

2) Dar um passeio no Templo da Literatura

P1000487

Este tempo é de 1070 e a mais antiga universidade de Hanoi. Também dedicado ao filósofo chinês Confúcio. É um verdadeiro oásis no meio do caos de Hanoi.

P1000485

P1000490

3) Comprar muitos souviners nas lojas do Old Quarter ou nas feirinhas noturnas 

P1000491

4) Experimentar a deliciosa culinária vietnamita

P1000494

Goi Cuon é uma das minhas entradas favoritas. Uma versão mais light e saúdavel do rolinho primavera. Ele é recheado com legumes, ervas aromáticas e camarão ou carne envoltas por papel de arroz e servido com o tradicional molho vietnamita com limão, especiarias e chilly. .

Todos os pratos são super bem decorados com muitos legumes e preços super camaradas, por volta de 10 dólares já se pode ter uma refeição completa com entrada, prato principal e sobremesa.

P1000496

5) Dar uma volta ao redor do Lago Hoan Kiem

P1000472

Este lago fica no centro de Hanoi pertinho do Old Quarter. Dá para fazer todo o contorno do lago de 30 a 45 minutos, muitos fazem tai chi de manhã cedo ou ao entardecer.

6) Chegada à Baía de Halong😮 primeiro impacto com a beleza estonteante da Baía 

Fechamos um pacote de dois dias, uma noite no barco, que para mim foi o ideal. Um dia é muito pouco e três dias pode ser demais para alguns.

Tem centenas de agências oferecendo este pacote em Hanoi por preços que começam com 40 dólares até onde o céu é o limite. Pelo que eu pesquisei, a grande maiorira de reclamações deste tipo de pacote foram os passeios que custaram menos de 100 dólares.

Nós pagamos 150 por pessoa e valeu cada centavo. Refeições com até 5 pratos diferentes, com direito até a uma aula de culinária no barco! Eu aconselho na hora de comprar um pacote destes a investir mais um pouco, porque vale muito a pena.

Nosso barco o Marguerite Garden

P1000502

7) “Lagartear” no deck do barco, tirando mil fotos

P1000511

Minhas expectativas eram muito altas quanto a Halong e tenho que confessar que não me decepcionei. Realmente é tudo isso mesmo que se vê nas fotos, um lugar único e inesquecível.

8) Curtir o pôr do sol em Halong

P1000518

9) Curtir o nascer do sol em Halong🙂

P1000531

Não deixe de andar de caiaque na Baía!! Fiquei com medo de levar minha máquina e me arrependi muito, pois foi simplesmente sensacional.

10) Andar de caiaque na Baía 

P1000571

P1000572

Nenhuma visita a Halong não seria completa sem uma visita aos vilarejos de pescadores flutuantes.

P1000579Antes de programar sua viagem ao Vietnã eu recomendo o episódio do Top Gear, uma série da BBC com três malucos que decidem viajar de ponta a ponta por este país, muito divertido.

Sudeste Asiático – Dicas gerais

Tags

O Sudeste Asiático a tempos já entrou na lista de destinos dos turismo em massa. Simplesmente a “remessa” de turistas não para, se não for de europeus, eles veem dos países vizinhos China, Coréia e Japão por exemplo. Toda esta demanda reflete o quanto eles estão preparados para receber o turista sem pacote.

Natureza exuberante em Laos

Natureza exuberante em Laos

As dezenas de posts também nos blogs de viajantes brasileiros também não negam a popularidade deste lugar. Inclusive encontrei muita informação pertinente em vários blogs brasucas.
Bem mas como já mencionei aqui o que eu procuro nos outros blogs não são necessariamente fotos da família do blogueiro/a ou muitas datas e informações históricas e sim as benditas dicas ou perrengues de quem já esteve por lá. Pensando nisso vou começar postando o que na minha opinião é o mais importante para o viajante independente como eu : o que deu certo e o que foi roubada…

Pôr do sol na Baía de Halong - Vietnã

Pôr do sol na Baía de Halong – Vietnã

Depois de 5 semanas rodando pelo Sudeste Asiático por conta própria, dá para se ter uma boa idéia de como passar menos dor de cabeça possível na próxima vez.

Me senti muito segura por todos países que passei, mas as regras de precaução valem para qualquer lugar do mundo : evitar “becos” e lugares mais ermos à noite e nas capitais ( principalmente nos locais mais turisticos ) cuidado dobrado com bolsas e carteiras.

Não importa a época do ano, lá o clima no geral é tropical ( tirando algumas regiões montanhosas do Vietnã por exemplo ) e o modo de vestir bem informal mas recatado. Principalmente no Laos ou ao entrar nos templos vale a regra : ombros e pernas até o joelho cobertos tanto para ele como para ela.

Apesar dos itens indispensáveis para o calorão o que também não deve faltar na sua mala é :

protetor solar ( óbvio ) pode ser comprado lá ( mesmo preço ou mais barato )

boné / chapéu de sol 

repelente – o grande problema do SA é a malária e a dengue ( mas não em todos os países , o risco é inexistente nas capitais )  – eu não tomei vacina nenhuma apenas usei muito repelente especialmente a noite. Para quem vem do Brasil precisa comprovar que tomou vacina contra febre amarela.

roupas de cores claras – as de cores escuras além de absorver a luz do sol, elas atraem mais mosquitos.

havaianas🙂 eles tem para vender muitos fakes mal feitos da nossa.

jaqueta a prova d’água, foi muuuito útil

sandálias estilo papete : eu sei que elas não são bem um item fashion, mas quando você estiver andando na lama em alguma caverna, você não irá se arrepender…

lanterna : alguma rua mais escura, caverna, uma lanterna pequena portátil é uma mão na roda

tampa ouvido : uma benção se você for se hospedar no centro de Hanoi ou Saigon ou viajar de transporte público com frequência. Especialmente os vietnamitas adoram mostrar seu “talento musical” nos ônibus e afins….

roupas com tecido “inteligente” : calças que viram bermudas impermeáveis que não precisa passar, nao amassa e seca super rápido.

-sapatos “velhos” mas confortáveis – as ruas de muitas cidades do SA não são asfaltadas e quando chove então aí vira uma lamaceira….

blusa de “fleece” : seca rápido  e super quente, para usar nos ônibus ou hotéis com temperaturas “abaixo de zero” do ar condicionado

~ bikini /sunga : com certeza vai aparecer uma oportunidade em alguma piscina, praia ou cachoeira

P1000770

Templo de Angkor Wat – Cambodja

Não levei e não fez falta : 

calça jeans : pesada, demora pra secar

sapatos de salto : só se você quiser ir num restaurante mais chique, do contrário, só rasteirinha, papete ou havaiana, como já mencionei sapato muito novo é besteira.

muitos acessórios “chamativos” : muitos lugares do SA em especial o Laos e o Cambodja são muito pobres e ostentar definitivamente é um big no-no. Vale a regra da decoração de ambientes : quanto menos melhor, deixe seus cristais Swarovski e bolsas Prada em casa.

objetos de limpeza pessoal : shampoo e companhia tem tudo lá e mais barato.

P1000810

Iha de Koh Samed – Tailândia

É muito mais fácil viajar pelo SA do que eu pensava, tudo já está prontinho para o turista é só ficar esperto com as malandragens dos espertalhões que ficam a espreita dos mais desavisados. Alguns cuidados para tornar a viagem sem muitos perrengues :

– o tuk-tuk é um dos meios de transporte mais populares e assim sendo os motoristas tem vários truques para atrair turistas oferecendo por exemplo uma corrida mais em conta mas no final acabam te levando para alguma loja de jóias( em Bangkok ). Antes de entrar no tuk-tuk esclareça onde quer ir e quanto vai pagar por isso, ele vai te dar um preço por exemplo 400 Baht, diga 150 e vá barganhando até os 200, mesmo assim ele estará tendo lucro, acredite.

– barganhe em todos os lugares onde não estiver o preço etiquetado.  A barganha também vale para hotéis, agência de turismo ( quando estiver fechando algum passeio ) .  Conseguimos preços muito em conta em hóteis por estarmos em baixa temporada.

– tem muita criança vendendo coisas no Cambodja, elas não frequentam a escola mas falam inglês!  Não incentive este negócio injusto imposto pelos pais ou até por gangues. Há também casos em que uma adolescente pega “emprestado” uma criança de colo para mendigar, ou vem com uma mamadeira vazia pedindo para comprar leite. Você compra o leite no supermercado com um preço inflacionado para o turista, dá o leite para ela que é imediatamente “devolvido” para o supermercado.

– aguardente com animais dentro : chega a ser nojento mas especialmente no Vietnã há muitas garrafas com escorpiões e principalmente cobras dentro da garrafa que são vendidos para os turistas com o slogan ridículo “Good for men”. Não preciso dizer que comprar tal “souvenir” além de incentivar o comércio ( presumo que ilegal) de animais ainda por cima acarreta problemas se você estiver fazendo uma escala de volta pra casa pela Europa. É proibido carregar na mala qualquer objeto de origem animal no continente europeu, acarretando em multas altíssimas e ao confisco do seu “presente” claro… Ah isso também vale obviamente para tudo que é de crocodilo, muitas bolsas, carteiras, cintos… também muito populares principalmente no Vietnã.

Difícil é escolher o que levar…

– exercite o “desapego” : eu doei 70% das roupas que levei, pois além de deixar a mala mais leve ( levei uma de rodinhas com 10 kg mais a mochila de mão com 5 kg ) sobra espaço para muitos souviners. O SA é um verdadeiro paraíso para objetos de decoração por exemplo por preços muito camaradas.

– respeite a religião local : parece óbvio, mas muitos turistas “sem noção” em busca da foto “jaba” perfeita tiram fotos imitando as posições do buda ou pior fazem mil poses como se ele fosse uma estátua comum. Isto é extremamente rude, imagine um turista tirando foto dentro da igreja imitando a posição dos santos ou do Cristo na cruz, macabro e de muito mal gosto não é?

Roteiro de dez dias pela Escócia

Como mencionei neste post vou dar um exemplo de um roteiro de dez dias que eu faria pela Escócia.

escocia

Chegando em Edimburgo eu ficaria dois dias inteiros nesta bela capital. De lá eu alugaria um carro e iria direto a Fort William ( 3 horas de viagem ).

Esta cidade é a “porta de entrada ” para a regiao das Highlands.

Muita tranquilidade em Fort William

P1000301

De Fort William eu ficaria na cidade de Portree como base para explorar a Ilha de Skye ( 2.5 horas de trajeto).

Em algum lugar na Ilha de Skye

P1000340

De Portree eu iria a Inverness que serve de base para o famoso Lochness e o castelo Eilean Donan. (2.5 horas de viagem)

Mais famoso ainda por causa do filme “Highlander” – Eilean Donan

MCM20027

Saindo da regiao das Highlands eu iria para o Nordeste escoces tendo como base a cidadezinha de Braemar. ( 2 horas de viagem )

De lá é possível fazer a rota dos castelos. Ou se preferir a rota do whisky.

castle trailMais informacoes sobre as viagens que eu fiz pela Escócia estao aqui.

 

Deiatatu na mídia

Faz 6 anos que mantenho ( a “trancos e barrancos”, confesso…)  este espaco para compartilhar minhas experiencias e impressoes dos lugares por onde passei. Este blog também serve como um diário, de vez em quando me pego lendo um post antigo de nomes e coisas que nem me lembrava mais. Ele tem a funcao puramente pessoal desta que vos escreve sem nenhum vinculo propagantistico ou  fins de ser uma blogueira “profissa”.

Bem toda esta introducao é pra dizer que a minha surpresa foi grande quando a Camila da Editora Abril me procurou para dar dicas da Escócia. Este país é muito especial para mim e foi um prazer refazer um roteiro para o VT-Responde.

viagem turismo

Vou dar mais detalhes deste roteiro no próximo post! Aguardem!

turismo2

Tulipas e mais tulipas em Keukenhof

P1000095

Vantagem de se chegar cedo : ter todo o parque só para você🙂P1000128Já existe dezenas, nao centenas de posts sobre esta atracao da Holanda, entao nao vou repetir que está atracao é imperdível e que o visual do parque é sensacional, porque já as fotos em si já afirmam isto.

P1000091

Por ser uma atracao que é totalmente dependente do clima, fica difícil dizer a melhor época para visitar durante os dois meses em que o parque está aberto. Este ano devido ao inverno longo, as tulipas demoraram mais do que o normal. Normalmente o “pico” da floracao é entre a terceira semana de abril até a segunda semana de maio ( eu disse normalmente… se tiver alguns dias mais quentes neste interim, infelizmente as tulipas murcham rapidinho ).

Neste ano eu usei o tripadvisor.com para “monitorar” o fim de semana ideal para visitar o Keukenhof. Há quase updates diários de outros visitantes que acabaram de visitar o parque e postam suas impressoes.

Nao é só de tulipas que vive o Keukenhof, hiacintos também sao um show, além de ser super perfumados.

P1000076A maior dica que eu dou é chegar cedo no parque se possível já as 8 que é o horário em que ele abre. Além de ser a melhor hora para tirar foto ( sem os milhoes de turistas que querem tirar a mesma foto que a sua no mesmo ângulo ), a luz natural é também ideal.

P1000078

A partir das 10 os ônibus de Amsterdam normalmente comecam a chegar e mesmo o parque sendo grande, há uma certa “multidao” nos lugares mais “estratégicos”  como por exemplo nas estufas.

Cada ano o parque tem um tema, e neste ano o escolhido foi a Inglaterra, abaixo uma montagem do Big Ben e da Tower Bridge.

P1000101

O preco é meio salgado 15€ mas totalmente justo, levando-se em conta todo o trabalho e capricho em todos os detalhes no parque. O mapa de 4€ além de ser um roubo é totalmente dispensável na minha opiniao, pois o legal é se “perder” no meio de tantas flores.

Ao lado do Keukenhof há muitos campos de flores como este….

P1000138

E pensar que tudo comecou na década de 40 onde vários produtores de flores resolveram fazer um exposicao, era aí que nascia o Keukenhof ( “horta” em holandês ). Hoje em dia sao mais de 90 fornecedores de flores ( 7 milhoes de bulbos no total ) que apresentam seus “produtos” , tem fila de espera até para tornar-se um fornecedor de bulbos para o Keukenhof.

P1000092Cliché holandês : moinho + tulipa… mas nao deixa de ser bonito🙂

P1000123

Como toda grande atracao  tem também os passeios “pega-turista” como por exemplo o passeio de barco pelo canal….

P1000142

€7.50 por pessoa e durante 50 minutos um “audio-guide” ( em inglês, I´m afraid ou alemao/holandês ) explica algumas curiosidades sobre o parque e o cultivo das flores no local.

P1000139

Interessante, mas com certeza nao é imperdível, é melhor alugar uma bicicleta e andar pelos campos na minha opiniao.

P1000088

Dicas de como planejar seu roteiro de viagem – parte 1

Nao tem roteiro mais personalizado do que aquele feito por você mesmo. O planejamento da viagem è um ritual que faz uma parte importante do processo de viajar, a ansiedade por algo desconhecido, aquele friozinho na barriga è dez vezes maior quando se planeja tudo de ante-mao do que já ter tudo “empacotado” por uma outra pessoa/agência.

Nos meus anos de estrada « desenvolvi » alguns métodos que se tornaram o padrao quando planejo qualquer viagem e o melhor de tudo, todo o processo nao requer nem prática muito menos habilidade, pelo contrário è só saber onde procurar que qualquer um pode montar o seu roteiro facilmente!

O mundo é tao grande, por onde comecar?????

Entao vamos pelo comeco….

Assim que você já estiver decidido o seu destino,  fica mais fácil pesquisar, claro.

Inspiracao é o que nao falta nos tempos de internet, várias das minhas viagens se inspiraram em outros blogs/relatos de viajantes que já estiveram em um determinado lugar.

Antes de pesquisar  para onde quero ir eu faco uma pesquisa no Flick para “visualizar” melhor o lugar. Na sua grande maioria sao fotos de outros viajantes como você e nao fotos editadas por photoshop.

Em seguinda eu consulto  o “Viaje na Viagem” do Riq Freire e suas “Bóias”, além dele e da sua equipe entenderem muito do assunto, tem a “blogosfera” de viajantes que dao seus “pitacos” sobre os diferentes temas em pauta. Normalmente è através dele que eu consigo as primeiras dicas ou de algum dos muitos blogs que ele indica aqui.

O oráculo Google logicamente vem num segundo momento, com palavras chaves primeiramente em português e depois em inglês. O único problema desta ferramenta è separar o “joio do trigo” nem sempre os sites que vem logo na primeira página sao os melhores.

Se você ler em inglês, o site virtual tourist dá dicas práticas de quem já esteve nos lugares e também tem um forum em que você pode postar a sua pergunta, normalmente vai sempre ter alguém que responde.

Apesar de eu nao ser “mochileira” o site do mochileiros pode ser também muito útil.

Toda informacao que eu acho “pertinente” ao meu perfil  sobre determinado destino, eu copio e salvo num arquivo com o nome daquele país/regiao. No final de toda a pesquisa eu imprimo tudo e levo sempre na viagem comigo. Eu já usei este “método“ ao invés do tradicional guia de viagem, mas o ideal è ter um guia e o seu arquivo numa pasta anexa.

Num segundo momento eu uso o Google Maps para visualizar a minha rota. Esta ferramenta è fantástica pois inclui também o tempo gasto e distâncias. Lógico que nao dá para confiar totalmente no tempo gasto para uma determinada distância, vai depender do meio de transporte e das condicoes das estradas, mas já serve para se ter uma idéia. Eu também copio a página com a “minha rota” e salvo num arquivo, mas tarde eu imprimo este mapa e junto a minha pasta anexa.

Um exemplo de roteiro pelo Sul da Alemanha/Rota Romântica

sul alemanha1

Quanto tempo devo programar para fazer o roteiro “X”?  Eu costumo pesquisar o que as agências de turismo oferecem para se ter uma nocao de duas coisas : primeira – o que è “imperdível” ( de acordo com o mainstream das agências de turismo ) e quanto tempo eles planejam para ficar em tal lugar. Vou dar um exemplo :

Eu achei na internet o seguinte roteiro pelo Sul da Alemanha / Rota Romântica  oferecido pela agência XYZ:

Dia 1 – Frankfurt – Rüdesheim   65 km

Dia 2 – Rüdesheim – Heidelberg – Baden-Baden   219km

Dia 3 – Baden-Baden – Lago Constance – Lindau   312km

Dia 4 – Lindau – Munique   181km

Dia 5 – Munique – Oberammagau – Garmisch – Munique   202km

Dia 6 – Munique – Nürnberg    171km

Dia 7 – Nürnberg – Rothenburg – Würzburg   175km

Dia 8 Würzburg – Frankfurt   120km

Este roteiro pode servir de base ou inspiracao ao seu próprio roteiro, achou muito corrido ? Nao faz questao de visitar tal lugar ou quer adicionar outro ? Tudo fica mais fácil se só você faz suas próprias escolhas…

Aguardem a parte dois deste post!

Um tour de 5 dias pela Romênia

“Aproveitando” o caminho para a Bulgária fizemos um tour de 5 dias pela Romênia. Além do roteiro “clássico” pela Transilvania escolhido pela grande maioria dos turistas, fizemos também o Delta pelo Rio Danúbio na cidade de Tulcea na nossa última parada.

Abaixo está o nosso roteiro:

romenia

Sibiu (A) – Sighisoara (B)         103 km – aprox. 1 hora 35 mins

Sighisoara (B)  – Brasov (C)     117 km – aprox. 1 hora 38 mins

Brasov (C) –  Bran (D)               30,1 km – aprox. 38 mins

Bran (D) – Braila (E)                  286 km – aprox. 4 horas 15 mins

Braila (E) – Tulcea (F)               199 km – aprox. 2 horas 51 mins

Pátio interno do Castelo de Bran

P1050179

Quando mencionava que iria para a Romênia encontrei algumas reacoes negativas, semelhantes de quando eu disse que iria para este país aqui. Ouvi várias vezes comentários como ” Nossa, mas é perigoso, é pobre, as estradas nao sao boas” .

Infelizmente o pouco que se sabe sobre este país é que é de lá que veio o conde Drácula e que vários dos mendigos/ciganos que emigram para outros países europeus sao na sua grande maioria rômenos.

Revoada de pássaros no Delta do Rio Danúbio

P1050268

Depois dessa viagem só tenho a dizer que a Romênia é um belo país como muitas atracoes que vao além do roteiro “vampiresco” pela Transilvania.

Nada como viajar para acabar com preconceitos e quebrar paradigmas….

Me senti super segura por lá e além do mais muitas estradas estao sendo construídas pela Uniao Européia no momento, entao fica super fácil navegar por aquelas bandas de carro, que é na minha opiniao o melhor meio de transporte ( se você nao fizer questao de conhecer Bucareste, o que foi o meu caso ).

Natureza exuberante no Delta do Danúbio

P1050254

Os precos também sao bem camaradas, nao tao barato quanto na Bulgária, mas ainda assim é possível encontrar hotéis de 3 estrelas por 40 euros por casal e café-da-manha.

Vilarejos e mais vilarejos pelo interior do país

P1050153

P1050155

Os bichanos sao uma presenca constante na Romênia

P1050307

Aguardem mais posts deste país fascinante!

Em busca da perfeita feira de natal

Nao é mais segredo para ninguém que os países de cultura germânica capricham nas feiras de natal. Cada cidade, por menor que seja, tem as suas barraquinhas montadas normalmente na praca central ou na rua de pedestres.

Pátio do Palácio Thurn und Thaxis – Regensburg

P1050759

P1050758

Uma das feiras mais famosas da Alemanha é a de Nurnberg. O grande „problema“ é que nao é  só você que tem essa informacao, mas os trocentos mil turistas que lotam os finais de semana para beber um pouco de Glühwein, ficando quase que impossível « flanar » tranquilamente pelos stands … a minha dica é se possível evitar sexta-feira e o final de semana se você querer visitar esta feira em Nurnberg.

O Sao Nicolau também nao deve faltar na feira de natal….

P1050756

Bem, mas este post nao é exatamente sobre as feiras de natal nas cidades e sim as feiras de natal « românticas » ( uma outra traducao direta do alemao ) para as feiras montadas digamos assim, num „cenário“ mais « natalino » que pode ser um castelo, palácio ou mosteiro. Tendência que vem aumentando a cada ano.

Carrossel é também “obrigatório” na feira

P1050761

Tenho que confessar que o conceito em si funciona, depois da primeira feira num castelo, você nao vai querer mais ir em feira em cidade e é este o meu caso atualmente.

Para você que está na Europa na época do natal vale a pena dar uma olhada nesta lista de feiras em castelos, talvez tenha uma perto de onde você. Ou você pode usar as palavras chave “Burgweihnachtsmarkt” mais a cidade/regiao onde você está.

Que tal uma cebola frita para esquentar ?

P1050814

Estas feiras sao normalmente nos jardins de castelos ou palácios. Elas se concentram na venda de produtos artesanais na grande maioria e em alguns casos de fabricacao própria.

Para quem está perto de Regensburg tenho duas para recomendar. A primeira é no centro da cidade no Palácio da Condessa Thurn und Taxis. A entrada custa 6.50€ e o ideal é chegar entre 4 e 5 horas que é quando comeca a anoitecer nesta época e as luzes reforcam ainda mais o clima natalino.

Licor/aguardente de fabricacao própria do castelo Gutenenck

P1050808

Já ao que se refere ao clima “medieval” o palácio de Regensburg nao chega nem perto da feira do Castelo de Guteneck ( entrada 4€ ).  A 62 km de Regensburg ( 40 minutos pela Autobahn A93)  este lugar é sem dúvida uma insider tip que apesar de já atrair visitantes de outros estados, está longe de ser um destino do turismo natalino em massa como nas feiras de natal nas grandes cidades.

Um dos pátios do castelo de Guteneck

P1050816

P1050811

Mas afinal o que se espera na “feira de natal ideal”????

Aqui vai a minha lista do que uma feira tem que oferecer para os que buscam o clima de natal perfeito para todos os cinco sentidos :

1. Muitas luzes e a árvore bem iluminada nao podem faltar,  de preferência com neve🙂

P1050803

P1050805P1050804

2. O cheiro de amêndoas caramelizadas

P1050802

3. Glühwein ( o vinho quente ) ou Feuerzangenbowle

4. Música natalina ou melhor ainda uma banda que toca música medieval

5. Muito enfeite natalino feito a mao

P1050809

P1050755

6. Um presépio “vivo”

P1050815

As feiras medievais/românticas sao normalmente nos 4 finais de semana antes do natal e normalmente comecam a funcionar no comeco da tarde.

Feliz Natal para todos!

Natal na Alemanha: vale a pena?

Como já falei neste post, dezembro é um mês interessante para se visitar a Alemanha principalmente pelo fato dos alemaes levarem a época natalina muito a sério, com muitos costumes diferentes dos nossos e com muita atencao aos detalhes, característica  típica da cultura germânica🙂

Eu costumo fazer uma brincadeira com quem me pergunta se é legal passar o Natal na Alemanha ( ou Suíca/Austria ), dizendo que o melhor do natal nestes países sao os preparativos em si e nao a festa própriamente dita.

Turisticamente falando, nos dois feriados ( se comemora o natal por dois dias ) 25 e 26 esta  praticamente tudo fechado:  museus, lojas, castelos, ou seja, pode ser uma roubada…. A menos que se tenha família ou amigos para se comemorar esta data. Assim como no Brasil, sao dois dias dedicados a muita comilanca e à reuniao familiar.

Além  das feiras de natal que comecam a  partir do final de novembro, há vários outros rituais que  acompanham as 4 semanas antes do Natal.

Entre eles está o Adventskranz ( ” coroa do Advento” ). Sao no total 4 velas que sao acesas nos 4 domingos antes do Natal.

Fazer biscoitos de Natal em casa com as criancas é um outro costume muito comum. Já em novembro as livrarias lotam as prateleiras de livros de receitas com as mais diversas bolachinhas, paes de mel e bolos de natal .

O calendário do advento também è um costume muito bonito por aqui. Sao 24 “janelinhas” que fazem a contagem regressiva a partir do dia  1 de dezembro até a véspera de natal.

Todo dia tem uma janela nova para abrir e uma “surpresa” para saborear, o calendário mais popular e tradicional é os que vem com bombons, mas hoje em dia tem todo tipo de calendário possível e imaginável até para cachorros(!) ao invés dos doces tem um biscoitinho para o bichano….

Mas o mais divertido é fazer o seu próprio calendário. Há várias sugestoes na internet ( é só procurar no Google por “Adventskalender basteln” ) que aparecem muitas idéias, como estes calendários.

Vorweihnachtlich: Adventskalender basteln mit Kindern

Adventskalender Weihnachtsmänner

Além do tradicional papai noel, há também o Sao Nicolau. No dia 6 de dezembro ele traz presentes para as criancas que se comportaram bem durante o ano🙂

Há a troca de presente na véspera mas os alemaes nao esperam a meia-noite para festejar o natal. Muitos vao a missa na véspera e montam a árvore.

Ao invés de peru, os alemaes preferem o ganso como prato clássico natalino servido com Knödel ( é como um “nhoque gigante ” ) e repolho roxo. Entretanto há várias diferencas regionais, em alguns estados a salada de batata com salsichas é o prato escolhido ou carpa.

GänsekeuleNesta foto só ficou faltando o molho…

Próximo post : feiras de natal medievais

Os Mosteiros de Rila e Bachkovo

Saindo de Plovdiv, rumamos em direcao sul. Sem querer tivemos grandes surpresas com a natureza deslumbrante deste pais, bem mais isto é assunto para um outro post.

Nosso objetivo era conhecer os mosteiros de Rila e Bachkovo.

O mosteiro de Bachkovo é o segundo maior mosteiro do país. Em comparacao ao mosteiro de Rila ele é pequeno e nao tao lotado de turistas.

Foto “as escondidas”  de dentro do mosteiro – é proibido filmar ou fotografar….

Ele chega a ter uma atmosfera até que “aconchegante”, intimista por ser menor. Eu o visitaria  primeiro e depois o de Rila.

Construído em 1083, este mosteiro é também um lugar de peregrinacao.

Patio do Mosteiro de Bachkovo

Já o Mosteiro de Rila está para os búlgaros, como a cidade de Aparecida está para os brasileiros. Nao sao só as dezenas de ônibus de turistas que visitam a atracao mais famosa da Bulgária que lotam este monumento, mas também o povo búlgaro. È lá que estao os restos mortais do  santo padroeiro do país Ivan Rilski.

Por isso regra número 1 é evitar finais de semana ou as manhas. O melhor horário para visitá-lo é no final da tarde entre as 4 e 5 horas.

Ao se entrar no pátio interno do mosteiro é fácil entender porque ele é tao popular. A atmosfera, as montanhas como pano de fundo, a arquitetura, as pinturas, enfim, é uma combinacao que deu muito certo.

Por se localizar a uma altitude de 1150 metros, pode esfriar rapidamente por lá, até no verao.

Eles nao sao tao rígidos quanto a vestimenta, como nos mosteiros de Meteora, mas nao preciso dizer que micro saias nao sao a melhor pedida para este tipo de passeio….

Desde 1983 ele é patrimônio histórico da Unesco.

Ele fica bem escondido, no meio do parque nacional.

Com certeza um lugar para nao perder em se tratando de Bulgária.

Último post da Bulgária : cavernas, montanhas e vinho, aguardem!

Plovdiv

Nao oficialmente, Plovdiv é considerada a capital cultural da Bulgária e dizem que ultrapassa a capital Sofia em beleza.

Um dos muitos cantos fotogênicos de Plovdiv

Além de ter sido construída numa regiao montanhosa ( 6 montes para ser mais exata ). Ela já foi a « queridinha » de gregos e romanos que deixaram sua marca neste lugar tao especial. Entre as celebridades que tiveram sua passagem pela cidade  estao Filipe II rei da Macedonia e pai de Alexandre, o Grande que conquistou Plovdiv  em 342 antes de Cristo. 300 anos mais tarde a história se repete com o imperador Claudius .

Nós ficamos no hotel Ego 78 Lev ( cerca de 39€/casal com café da manha ) que recomendo fortemente, nao só pela sua localizacao privilegiada, cerca de 20 minutos a pé do centro, mas também pelo ótimo café da manha. Todos os quartos foram recentemente reformados.

Plovdiv merece dois dias, mas só ficamos um inteiro.

A primeira parada é a rua principal do centro, a Ulitsa Rayko, impossível nao passar por ela. Há muitas lojas, cafés, artistas de rua. De lá é super fácil encontrar o distrito de Kapana.

Kapana é um verdadeiro labirinto de ruas estreitas e arquitetura tipicamente búlgara. Gracas ao seu comércio este bairro é o coracao de Plovdiv a mais de 500 anos !

Um dos símbolos de Plovdiv: o Museu Etnográfico

Neste bairro encontram-se casas no estilo chamado de “Bulgarian Revival”.Elas foram construídas pelos ricos comerciantes do século 19, uma atracao e tanto para quem gosta de arquitetura.

Mas a “cereja do bolo” é com certeza o teatro romano contruído no século II e com capacidade para 7000 pessoas.

A entrada é uma pechincha, como quase tudo na Bulgária 1.5€ para se ter esse visual deslumbrante.

Próxima parada: os Mosteiros de Rila e Bachkovo.

O que vestir no inverno euopeu?

Tags

Uma das perguntas mais frequentes que recebo é o que levar na mala ou/e o que vestir no inverno europeu.

As temperaturas geralmente comecam a ficar abaixo de 10 graus positivos em novembro o que para nós já pode ser considerado bem frio ( nao para os europeus, para eles “frio mesmo” é de zero pra baixo.

Como já mencionei neste post, novembro nao é um mês bom para a Europa central por ser muito chuvoso (normalmente), já a partir de dezembro o tempo fica mais seco, diminuíndo a sensacao de frio por nao ter tanta umidade no ar, além de nao precisar levar guarda-chuva que definitivamente nao combina com férias. O que eu aprendi é que antes neve do que chuva para “turistar” no inverno, além de mais bonito é mais fácil se “proteger” da neve com a roupa  certa.

Odiada por muitos mas muito útil para o inverno europeu, a  jaqueta “estilo michelin”  faz parte do “kit de sobrevivencia”. Tem até um post sobre ela no Viaje na Viagem

Em outubro as lojas já comecam com a colecao inverno e é a pior época para comprar para os muquiranas, pois tudo é novidade e bem mais caro, os precos comecam a ficar muito mais convidativos depois do natal nas chamas “WSK” ( Winterschlussverkauf), este “palavrao” quer dizer as liquidacoes de inverno que  comecam teoricamente já no final de dezembro, comeco de janeiro… Dá pra fazer verdadeiros negócios “da China” nesta época.

Nao tem como escapar ao estilo “cebola” , ou seja, a jaqueta e mais alguma(s) camadas por baixo. Um dos grandes problemas é ficar tirando tudo depois, quando se entra nos lugares fechados que normalmente tem temperaturas de 20 graus….

Eu montei um “set” abaixo para se ter uma idéia do que vestir num dia típico de inverno com temperatura de zero grau por exemplo.

Uma camiseta de algodao de manga comprida

Um suéter

A jaqueta de pena de ganso

Luvas de lã ( apesar de bonitas, as de couro nao esquentam nada )

Botas de cano alto de preferencia forradas de salto baixo, salto alto na neve é convite para levar tombo…. e com sola anti-derrapante, nada de sola lisa!

Calca de lã, as jeans nao esquentam absolutamente nada, mas com uma meia de lã por baixo pode ser uma alternativa

Acessórios de lã – gorro ( nao subestimem a importancia desta peca, principalmente os homens nao fazem muita questao, mas as orelhas agradecem🙂 e cachecol claro.

Meia comprida ( a marca Falke é muito boa com lã merino e super fácil de achar em lojas especializadas ).

Uma “mao na roda” sao as solas de sapato de la (“Einlegesohle” em alemao), é super fácil achar em qualquer loja de sapatos ou até mercados grandes por precos a partir de 4 euros.

Lammflor Einlegesohlen Einlegesohle Sohle  aus Lammfell Wolle Neu  Größen 35-46

Bem mas o que vale a pena comprar na Europa ou trazer do Brasil??? É esta pergunta que nao quer calar e que eu ouco trezentas mil vezes…..

As roupas de inverno brasileiras sao proporcionais as de outono/primavera da Europa, por isso o que eu traria do Brasil sao as blusas de algodao por exemplo, suéter, calca de la. Jaqueta eu compraria com certeza na Europa.

Há várias lojas como C&A, Esprit, Kaufhof onde é possível encontrar acessórios, e jaquetas “michelin” por bons precos, em muitos casos mais barato que no Brasil.

Veliko Tarnovo

Tags

Nossa segunda parada na Bulgária foi em Veliko Tarnovo.

Dez entre dez viagens com agência de turismo oferecem Veliko no roteiro, é com certeza um must nao só pela sua beleza mas também pela sua história.

Esta cidade de 70000 habitantes fica numa localizacao privilegiada no topo de uma montanha com o rio Yantra separando o centro histórico da Fortaleza de Tsarevets.

O seu centro histórico è pequeno e facilmente explorado a pé. Deixamos o carro no nosso hotel e e comecamos a explorar a cidade pela  Fortaleza de Tsarevets.

Veliko já foi capital da Bulgária e a fortaleza medieval serviu como quartel general dos Czares  durante 200 anos. A “citadela”, que foi construída entre os séculos 12 e 13,  era composta de uma catedral, um palácio e mais de 400 residencias que foram infelizmente destruídas pelos osmanos.

Era assim a citadela no século 12

Hoje è possível visitar a igreja do padroeiro no ponto mais alto das ruínas e ter uma das mais belas vistas de Veliko. O único acesso á fortaleza è através da ponte de pedra, os muros que a cercam foram construídos a beira do penhasco. A única “saída de emergencia”  fica ao lado esquerdo da trilha ao longo do muro onde ele simplesmente “desaparece” e se da de cara com um  penhasco que dá para o rio. Era ali que os traidores eram lancados ao abismo.

Há noite tem um espetáculo de luzes na fortaleza, mais informacoes no centro de turismo. Vale muito a pena pernoitar em Veliko, a cidade tem uma atmosfera toda especial, além da fortaleza ser toda iluminada .

No dia seguinte exploramos o centrinho de Veliko que è bem pequeno mas muito charmoso com suas ruas de paralepipedo, muitas lojas de souviniers, cafés, restaurantes, enfim, sempre se tem algo para fazer por lá.

Achar hotel também foi muito fácil, há muitos no centrinho histórico por bons precos ( pagamos 50 Lew = 50 euros por casal com café ).

Depois de dois dias em Veliko rumamos para Plovdiv.kkkk

O País das Rosas e o Mar Negro

É assim que a Bulgaria gosta de ser conhecida, como o país das rosas e com uma certa razao pois 70 % do óleo de rosas vem deste país. E nao pensem que ele é barato ou fácil de ser fabricado. Um kilo deste óleo custa em média 5000 dolares no mercado internacional e é a matéria prima de muitos perfumes chiques franceses que conhecemos. Para conseguir esta quantidade é necessário de 3000 a 5000 kilos de flores ( mais de um milhao de botoes de rosas! )

A colheita é muito árdua e completamente manual feito na sua maioria por mulheres.

Um ótimo souvinier bulgáro sao os cosméticos feitos com rosa, acreditem tem até geléia(!) de rosa, eu só comprei um potinho para experimentar e me arrependi, é realmente muito boa. Mas tem também licor de rosa e como nao poderia deixar de faltar até pinga!

Tivemos um “gostinho” da presenca onipresente das rosas no Jardim Botânico de Baltschik.

A pequena cidade de Baltschik fica na costa do Mar Negro

Baltchik foi nossa primeira parada na Bulgária e é uma cidade pequena que cresceu nas montanhas íngremes a beira do Mar Negro. Mas este lugar nao é para quem prefere  praia mas sim um passeio ao longo no calcadao com vários cafés e restaurantes.

O jardim botânico de Baltschik fica encravado numa montanha

Ao lado do Jardim Botânico fica o Palácio de Verao da Rainha Maria ( prima da atual rainha Elizabeth ) construído em 1924.

O litoral do Mar Negro vem ganhando muito em popularidade no verao europeu pelos seus precos baixos e ótimo clima, mas nao era esse o meu foco nesta viagem.

Depois de um dia agradável em Balchik rumamos para o interior em direcao a Veliko Tarnovo. Mais detalhes a seguir!

Bulgária – Introducao

A Bulgária é um país ainda inexplorado por nós brasileiros e sai totalmente  do roteiro clássico do leste europeu como República Tcheca com Praga ou Hungria com Budapeste. Na verdade no quesito capital, Sofia nao tem muito a oferecer se comparada com as duas capitais mencionadas, mas em compensacao, seu interior è rico em cidades históricas e suas belezas naturais.

Mosteiro de Rila – Patrimônio da Unesco

Em matéria climática a Bulgária tem dois climas diferentes: ao longo da costa do Mar Negro é quente e mediterrâneo, já no interior montanhoso e continental e portanto muito quente no verao e muito frio no inverno. Veliko Tarnovo por exemplo pode ter temperaturas de +40 a -40 no verao e inverno respectivamente, uma diferenca de 80 graus….

Além disso a Bulgária è um país baratíssimo, quando uso superlativo nao estou exagerando. Só para ter uma idéia uma refeicao na segunda maior cidade do país (Plovdiv) num restaurante mais chique com três pratos, vinho custou 13 euros por pessoa, uma pechincha se comparado ao resto da Europa.

Souvenier típico búlgaro : cerâmicas

Os hotéis também sao super em conta, dá pra ficar num hotel 3 estrelas com café da manha por 40 euros o casal.

O país è super fácil de ser “navegado” por conta própria, as estradas sao muito boas e as sinalizacoes estao na grande maioria no alfabeto cirílico e em seguinda no nosso alfabeto.

Como meu companheiro de viagem tem alguma nocao de russo, nao tivemos problema nenhum, mas por via das dúvidas è sempre bom ter um mapa em cirílico na mao.

Nos hotéis a maioria  falava um pouco de inglês e em todos os restaurantes tem o cardápio em inglês.

Este país é  de uma cultura milenar e foi ocupado por gregos, romanos e otomanos. Há portanto influências de todos estes povos na sua arquitetura e culinária por exemplo.

Ficamos seis dias por lá distribuídos da seguinte forma :

Balcik no Mar Negro

Veliko Tarnovo

Plovdiv

Goce Delcev

Aguardem mais posts !

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 150 outros seguidores